20 setembro, 2016

7 contos de fadas e suas curiosidades obscuras


A hora de dormir costuma ser um momento de paz e tranquilidade não é mesmo? Tanto que quando crianças, costumamos ouvir belas histórias contadas por nossos pais e que embalam nosso soninho rumo a um novo dia.

Não. Pera. 

Descobri que as histórias mais doces na verdade derivam de outras histórias e estas sim são na verdade sombrias e aterrorizantes. Conheça agora os 7 contos de fadas mais horripilantes e não tão açucarados.

1- João e Maria (“Hensel e Gretel” no original)



Este conto dos irmão Grimm contam a história de João e Maria que são abandonados na floresta pela madrasta e pelo pai por que eles não tinham condições de lhes oferecerem alimento. A história real se assemelha muito com a verdadeira história exceto por se tratar de um conto canibal que tem como plano de fundo a Grade Fome que ocorreu entre 1315 – 1317 na Europa. Foi um período de extremos crimes, doenças, mortes em massa e infanticídios. Muitos pais foram forçados a realmente a abandonar seus filhos e em muitos locais aconteciam canibalismos.

2- Chapeuzinho Vermelho



Surpreendentemente, foram os Irmãos Grimm, que suavizaram "Chapeuzinho Vermelho", no século 19, com a adição de um caçador que salvou o dia. Em versões anteriores, como por exemplo a edição de 1697 escrita por por Charles Perrault, Chapeuzinho Vermelho involuntariamente comeu sua própria avó após o lobo rasgar a velhinha e servir suas entranhas para a menina. Em outra versão perturbadora, o lobo exige que chapeuzinho fique nua. Ele a teria obrigado a jogar a roupa no fogo e deitar-se com ele. Em seguida, o lobo janta a chapeuzinho viva e a história termina aí.

3- A pequena sereia



Na versão da Disney de "A Pequena Sereia", Ariel negocia sua voz doce em troca de ter pernas; no original, Hans Christian Andersen de 1837, ela oferece a própria língua. Com as pernas então recém criadas nada eram flores afinal para piorar a situação, cada passo que a sereia dava era insuportável, era como se facas afiadas estivessem cortando seus pés e pernas recém-criados. Finalizando esta história sofrida, ela tem apenas um dia para se casar com o príncipe, antes que ela se torne uma espuma do mar.

4- A Bela Adormecida


Na história real de “A bela Adormecida” as fadas madrinhas que cuidaram e criaram dela praticamente, não existiram. O poeta Italiano Giambattista Basile, publicou pela primeira vez a história em 1634, com o título de “Talia como chumbo”. Ao invés de ser ficar picada por uma roca de fiar, uma lasca de linho entrou por sob a unha da jovem, fazendo-a entrar em colapso e parecer morta. Seu pai com o coração partido, não pode suportar a ideia de enterrar sua filha, então resolveu coloca-la em uma das muitas camas de sua propriedade. Na sequência um rei segue o seu falcão de caça até a do pai da Bela Adormecida, onde ele descobre a bela adormecida. Quando ele percebe que é incapaz de acordar a mulher inconsciente, ele a estupra. E depois, o Rei retorna à sua terra natal (como se nada tivesse acontecido). Ainda inconsciente, Talia (que á Bela adormecida) dá à luz a dois filhos. Um bebê suga o linho de seu dedo, despertando, assim, Talia de seu sono mágico. O rei que a estuprou, desde aquele momento era casado. Quando sua nova esposa tem conhecimento sobe a existência de Talia e seus filhos, ela bola um plano para cozinha-los e servir as crianças ao rei. O cozinheiro da rainha relutantemente concorda com ela, mas ele então troca as crianças por carne de cordeiro. Quando o rei descobre o esquema de sua esposa, ele a queima viva, a fim de também estar com Talia. E o cozinheiro recebe uma promoção por ter salvado as crianças.

5- O príncipe sapo



Esqueça o beijo mágico. Na versão dos irmãos Grimm o final é muito mais violento. Apesar da clara falta de interesse da princesa, ela continua seu namoro com o sapo viscoso até que ele está sobre ela em sua cama. Neste ponto, a princesa sentindo tamanho nojo, joga o anfíbio contra a parede. E é este ato agressivo que transforma o sapo num príncipe, não o beijo de piedade que conhecemos do desenho animado. Em uma versão alternativa, a princesa corta a cabeça do sapo e a deixa sangrenta e perto da morte. Isso também é o suficiente para transformá-lo em um príncipe coruja e fim da história (risos). Interessante ele ser transformado em coruja, será que tem a ver com algum aprendizado sobre o amor…que quando o sentimento está interessado no estético apenas, não é amor...sei lá vá saber.

6- Cinderela



As meio irmãs de cinderela não são nada mais, nada menos do que terríveis com as suas maneiras mandonas, atitudes malcriadas, e vozes como unhas arranhando um quadro negro. Elas certamente ganham o prêmio das mais terríveis irmãs dos arquivos da Disney. No entanto, essas irmãs vão de simplesmente irritantes para totalmente psicóticas na versão dos Irmãos Grimm da Cinderela do século 19.

Podemos lembrar quando Anastácia e Drizela lutam para colocar os seus pés rechonchudos e sujos no sapatinho da Cinderela. Na versão Grimm, desesperadamente elas cortam fatias dos seus próprios pés para caberem no calçado. Acontece que o príncipe vê claramente as intenções das irmãs e seus estratagemas muito literalmente. Uma vez que o sapato se enche de sangue de um vermelho muito vivo e assim rapidamente cava um fosse para um acordo real com as desmioladas irmãs de Cinderela. Já viram o que realmente aconteceu né? Por conta de todo insulto e injúria das irmãs invejosas, na sequência, um bando de pássaros bica os olhos das irmãs por sua maldade.

7- Branca de Neve



De acordo com o historiador alemão Eckhard Sander, Branca de Neve pode ser baseada na vida real de uma garota nobre chamada Margarete Von Waldeck, que existiu a partir do século 16 na Bavaria. A jovem Margarete se apaixonou por um príncipe que mais tarde se tornou Filipe II de Espanha. O pai e a madrasta de Margarete desaprovavam o relacionamento, tornando essa união algo politicamente inconveniente. Quando completou 21 anos, Margaret apareceu morta, e aparentemente ela havia envenenada. Quanto aos adoráveis anões, contam que a família Von Waldeck fugiu para uma mina de cobre, onde eles começaram a empregar crianças jovens, muitos dos quais sofriam de deformidades graves por causa das más condições de trabalho. As crianças trabalhadoras então por conta destas deformidades foram ironicamente chamadas de anãs. Então a história de que o pai dela era uma boa pessoa não existia. Mas a história não para aí.

Ao saber de Branca de Neve através de seu espelho mágico, a Rainha ordena que um caçador recolha o fígado e os pulmões de Branca de Neve para uma refeição macabra. Depois de engolir a maçã envenenada e entrar em um coma, o príncipe recolhe o corpo de Branca de Neve. Quando seu caixão cai devido a um funcionário desajeitado, um pedaço da maçã que estava alojada em sua garganta de Branca de Neve é expelida. Branca de Neve ainda se casa com o príncipe que era descrito como assustador. Quando a rainha aparece para seu casamento, Branca de Neve é forçada por ela a usar sapatos de ferro que estão fervendo, em brasas e obrigada a dançar; o que ela fez até que cair realmente morta.

A maioria dos contos do irmãos Grimm são de terror e por isso as histórias são assim dessa forma. E queue bom que houveram as adaptações e repassadas as crianças de outra forma, até porque seria inviável contar a realidade dos contos de fadas para elas.

Vídeo sobre essa matéria:




Fontes:

Share: